13 de março de 2009

Frio estranho


Tenho sentido um frio estranho. De tomar banho morno antes de dormir. De colocar o vento no sentido contrário da força.

Tenho sentido um frio estranho. De colocar calças em vez de saias e vestidos. De quase não suar. De dormir úmida para me sentir quente.

Tenho sentido um frio estranho. De dar vontade de ler livro ganhado. De usar calcinha branca feito neve. De buscar aquecimento em novas perspectivas.

O meu frio é estranho por ter chegado sem rosto e sem corpo no meio deste calorão da cidade purgatório da beleza e do caos. Chegou com cheiro de chocolate quente e gosto de salada de alface, que eu não conheço o sabor.

Tenho sentido um frio que escreve letras tortas no diário, apenas iluminada pela luz da TV. O meu frio começou a ler poesia, tem desejo de cantar cena de filme com música do Elton John.

Meu frio veio depois de uma forte febre que me derrubou numa cama grande demais para meu corpo fervente, encolhido de frio e de suor debaixo do endredon.

O meu frio veio para ensinar a liberdade do não, quando usado para evitar os excessos desnecessários. Dizer não para a pequenas coisas que nos queimam a cabeça sem razão de ser chama é deixar espaço para ter a mente com a leveza de brisa.

Meu trincar de lábios aprendeu que meu sorriso é ouro em pó e só merece ser doado aos que aquecem a alma e nos enchem o coração de carinho sabor mingau de chocolate com canela.

o meu frio invadiu o verão, antecipou as águas de março, que levaram a correnteza do bueiro, as dores, os vícios e as neuroses. Este frio me deixou o básico-essencial, descortinou o supérfluo, o vencido e o podre.

Veio carregado, congelou com a neve, lavou com a chuva e me deixou ali...

...Folha verde hidratada. Bonança depois da tempestade

21 comentários:

Flor Juliete disse...

Que belíssima varredura. Amei o texto. Muito sensível...

Beijocas!

Suzi disse...

huuummm... que frio...
de repente senti que tenho sentido algo assim, tão parecido... tão frio...

star black, disse...

mto sensível, adorei, seu blog já está nos meus favoritos,
milbjs :*

lucia disse...

Ai,que frio! Primeiro, eu me arrepiei e senti o seu frio. Depois, foi subindo uma água do meu estômago e desembocou nos meus olhos. Chorei,Jaque. Já pensou? O seu texto está demais!

John Doe disse...

Gostei, gosto desse frio, gosto do frio e de tudo o mais que ele cai, mas se é tão bom pq sempre sinto que é apenas a calmaria antes da tempestade...

dZ disse...

que poético

cuéca branca não esquenta mais que as outras, calcinha sim? :P

Da Silva disse...

Obrigado pelo seu texto,o frio mais quente que entrou pelo meu verão.

Frio, só o que me percorrea espinha, cada vez que eu vejo esse talento nascente para a literatura. Frio mais quente que esse não há.

bjs

garotabossanova disse...

Que esse frio continue a te percorrer e te faça cada vez mais sensível para a escrita.Deixe que o calor aconteça dentro de quem te lê e se permita sentir frio.Beijo!

Dani Zamô disse...

Que texto lindo. Foi a metáfora mais bem utilizada que vi ultimamente...

,,, aquela que voa disse...

Estás escrevendo muito bem (em vários os sentidos).

Nathália disse...

Salada de alface é ruim demais.
Ecoti.

Su disse...

Lindo, lindo!!!!
De repente percebi que tbm tenho sentido frio!!!

Beijos, FLor

Luciana Andrade disse...

Sabe que ando com uma sensação parecida. de um inverno antecipado nos fios do meu cabelo, dia desses me deu até vontade de vestir um casaco em pleno sol de quarenta graus....

Paula § Danna disse...

E não é pra entender..
é pra sentir! rs

Bjus

. fina flor . disse...

que lindo, Jaque!!!

tõ precisando de um frio assim para me livrar de certos excessos e conviver melhor com os nãos, viu, rs*

beijos, flor

MM.

Anônimo disse...

Olá, Jaqueline!
Parabéns! Muito bonito o texto!
Gostosa a leitura!
Bj

Alan Ramalho

Janaina disse...

Esse frio é dos melhores de sentir né? Me gusta.

Alexandre Gil disse...

bem, profundo, delicado e provocador seu texto.
Me parece que o frio um agente externo, vc na bonanza é vc mesma e a parte. a reflexao de saia e da calcinha é seu jeito de ser moleca;,..... agora vc abandonando os excessos, aprendendo a dizer NAO e abandonando as neuroses. Aiaiaaiai nao concordo nao, mudanças radicais inclusive nos nossos pecadinhos de estimacao sao perigosas, lentas SIM, mas radicais NAO.
ate pq aki no sul tem um ditado: cachorro ovelheiro so matando hehehe
e alem do mais, é assim q t quero, criando lindos textos e bem perdidinha hahaha

bjao guria, t cuida neném!

Leslie disse...

Lindo esse texto!!!

Wagner Marques disse...

o frio é uma leve sombra de nossa alma!

Oliver Pickwick disse...

Que frio bom! Recicla, rejuvenesce, liberta e renova.
Há quanto tempo, hein garota? a boa gente do condado alegrou-se com a sua visita. Não fique tanto tempo no mar.
Um beijo!

Siga esta onda

Related Posts with Thumbnails

Siga esta onda

Related Posts with Thumbnails