21 de agosto de 2007

Os homens da Minha vida - Parte 1

Sou quase o complexo de Electra. Sim, amava meu pai. Foi o primeiro amor, e tornei-me cobaia das peculiaridades sutis do sentimento: me descobri ciumenta. Um dia, ao voltar da escola soube que ele não foi me buscar porque ficou brincando com a filha do pedreiro. Quando vi aquela nojentinha estragando minhas canetinhas e lápis-de-cores aproximei-me e perguntei a ele se era verdade. Quando o "adultério" confirmou-se explodi. Minha mão de 7 anos foi com toda força na cara de meu pai.

Tal ciúme me fazia deboche de parentes, que "brincavam" dizendo que mamãe ia cortar a barriga dele. Aliás, isso foi muito usado pelas coleguinhas da rua. Chorava muito cada vez que ouvia a história.

Eu cria em bobagens assim. Meu universo lúdico servia para o bem e para o mal. Juro que vi Papai Noel trazer minha primeira bicicleta, mas sofria só em pensar perder meu pai. Em erros e acertos, me orgulho disso. Nos tornamos cúmplices. Ele compra meus sonhos. Vive com os pés no chão e a cabeça nas estrelas. Como eu! A racionalidade pertence a minha mãe. Nós somos os loucos. Acreditamos na fantasia.

"Meu primeiro porre" foi com ele também. Durante um passeio, parou num bar. Brincando deu-me uns dois goles de sua cerveja e esqueceu de avisar minha mãe, que sem saber, deu mamadeira por cima. Isso mesmo: mamadeira. Eu tinha 1 ano e meio.

Era natural ficarmos grudados todo tempo. Comer manga verde com sal, repassar as lições da escola, tomar banho de piscina o dia inteiro, sair para "explorar" as florestas do bairro ou dormirmos juntos quando eu tinha medo dos filmes de terror na madrugada. Mas tinha a parte que ensina, disciplina, estimula a leitura, a assistir o telejornal, esmiuçar a parte de política e economia dos impressos. Essas coisas de pai!

Anos depois, na colação, gritei do palco, que era por ele. Anos antes, vi seus olhos marejados na valsa da festa de 15 anos. Tempos depois, chorou novamente ao ver outro homem me fazer sofrer. Ano passado, ficou frágil, na cama do CTI, após a cirurgia do câncer. Eu choraria de medo, deveria ter chorado, mas fui só sorrisos, quando a única coisa que a anestesia o deixou falar foi: olha enfermeira, essa é minha filha. Ela é jornalista. Ela é jornalista!

Minha infância tem a lembrança daquele homem que diz, sem abrir a boca: vai em frente, tudo vai dar certo. E para completar o incompleto, ainda tenho a certeza que a segunda frase do post está no tempo verbal errado. Não amava. Eu amo!

12 comentários:

Moni disse...

eu amo meu pai. DEMAIS. ele faleceu há 16 anos atrás e a dor ainda não passou. aliás, nunca passará. dele só ficaram as lembnranças e o amor incondicional que sinto por ele.

AMO AMO AMO

para todo o sempre.

Jana disse...

não tem a noçao que senti do meu lendo tudo isso...

mas eu nunca poderia tomar um porre com ele, ele não bebia rs

beijos

Jana disse...

não tem a noçao que senti do meu lendo tudo isso...

mas eu nunca poderia tomar um porre com ele, ele não bebia rs

beijos

Victor disse...

Que post bonito! (deu pra derramar uma lágrima ou outra no fim, rs =x)



Obrigado pela força, querida. Eu já estou melhor ;)

E eu saio, sim, com pessoas que não estou afim... Gosto de conhecer pessoas novas, as vezes até pode ser que a pessoa seja legal, não é? rs

E a moça não gosta de ficar (e ela não tá afim de mim também...) ;)

Mas bola pra frente, né? rs

beijão

dZ disse...

:)

Mônica Montone disse...

Ai, que lindo, Jaque, quase chorei!!!!

beijos, flor

MM

ps: adoooooro manga verde com sal, deu até vontade, rs*

Bianca Pyl disse...

emocionante, Jaque...

Beijos

Mônica Montone disse...

bom fim de semana, flor

beijocas

MM.

ps: tô pensando em ir ao show do zeca baleiro sábado, anima?

Di disse...

Eu amo meu pai, mas nunca disse isso pra ele. :(

Sinto mó falta dele.

Bonita a relação de vocês dois. :)

Eu era muito ciumenta, tinha ciúmes até de amiga.
Hoje em dia a coisa tá mais controlada, não muito bem, mas um dia eu chego lá!

Di disse...

Ah, que bom que você curtiu a música que te enviei por e-mail. Vi a letra dela postada no seu fotolog. Ou gostou, ou combinava com seu momento, enfim, gosto de ler e de ouvir aquela música.

Casal mó fofo o da última foto! :D

Felicidades!

Beijoca!

Rodrigo disse...

Minha filha é assim comigo, temos um caso de amor irracional e brutal faz 4 anos e meio. Sou dela, sou pra ela e bla bla bla. E quer saber? Nada existe no mundo que pague isso.O lance é aproveitar. Ela não , ela diz que eu duro pra sempre, ela providencia isso. Um amor.

SACANITAS disse...

nossa, que coisa mais linda... :)

eu e meu pai tmb temos uma relacao especial. coisa de alma... acho q te entendo!

um xero
.
.
.

Siga esta onda

Related Posts with Thumbnails

Siga esta onda

Related Posts with Thumbnails